Ultima atualização: setembro 23, 2021

Nosso método

7Produtos analisados

21Horas gastas

6Artigos avaliados

30Comentários dos usuários

O ouro não é apenas uma mercadoria muito preciosa, diz-se até que tem um certo efeito no alívio de doenças. Neste processo, o elemento ouro é disperso em um líquido em partículas minúsculas.

Esta forma é chamada de ouro coloidal. Esta forma também é conhecida como água de ouro ou ouro líquido. Em nosso teste sobre ouro coloidal 2022 nós resumimos para você as informações mais importantes sobre ouro líquido, seu efeito e formas de aplicação.




O mais importante

  • O ouro coloidal pode ser usado como uma ajuda adicional aos métodos convencionais de tratamento para uma série de quadros clínicos, tais como doenças de pele ou intestinais.
  • Não é um medicamento aprovado, e é por isso que só podemos falar de um método alternativo de cura.
  • Ainda não há estudos conclusivos sobre o efeito exato, embora melhorias individuais ou estados de cura já tenham ocorrido.

Ouro coloidal: nossa recomendação dos melhores produtos

Critérios para compra e avaliação de ouro coloidal

Ao comprar ouro coloidal, você deve prestar atenção a vários aspectos, tais como:

As seguintes características e aspectos devem ser considerados em conexão com a decisão de compra de ouro coloidal.

Eles servem como um guia para ajudá-lo a decidir qual produto é o certo para você.

Qualidade

A promessa de qualidade desempenha um papel importante com o ouro coloidal, pois é um metal precioso que não é simplesmente adicionado ao corpo em circunstâncias normais. Portanto, é importante que o fabricante seja digno de confiança.

Ao escolher o ouro coloidal certo para você, você também pode economizar dinheiro e garantir que você não dê ao seu corpo nada que ele não precise. Portanto, certifique-se sempre de que a qualidade seja alta e, se necessário, peça para ver os certificados do fabricante.

Concentração

O ouro coloidal começa com uma concentração de 5 ppm (partes por milhão) e pode ser vendido em até 100 ou 200 ppm. Dependendo da concentração, o conteúdo real de ouro por ml é maior. Assim, o efeito do produto aumenta de acordo e a dosagem também deve ser ajustada de acordo.

Composição

Além da fórmula química para a produção de ouro coloidal, alguns fabricantes também misturam outros aditivos em seus produtos. A regra aqui é: quanto menos, melhor, pois alguns minerais ou elementos podem inibir uns aos outros ou até mesmo ter um efeito contraproducente e oposto.

Se você vir outros ingredientes na bula do produto além das substâncias necessárias para produzir ouro coloidal, você deve optar por um que contenha apenas ácido tetracloridogoldico, ácido cítrico e fósforo.

Tamanho da partícula

Além da concentração mencionada acima, o tamanho da partícula também desempenha um papel no ouro coloidal.

Quanto mais finos eles são, mais fácil é para o corpo absorvê-los e metabolizá-los ou processá-los. Portanto, ao comprar o produto, procure também um tamanho de partícula baixo, de preferência indicado em nano.

Certificação

A qualidade de um produto geralmente é acompanhada por um certificado. Para o ouro coloidal, é melhor procurar a conhecida certificação ISO ou AU. Você pode ter certeza de que seu produto foi testado e atende a todos os requisitos.

Guia: Perguntas freqüentes sobre ouro coloidal respondidas em detalhes

A fim de informá-lo de forma abrangente sobre a eficácia do ouro coloidal e para lhe dar uma compreensão do estado atual da ciência, nós resumimos todas as informações importantes nas seções seguintes.

O que é ouro coloidal e como ele funciona?

O ouro coloidal não é um medicamento que tenha sido testado por médicos ou comprovado por estudos suficientes. Assim, o uso do ouro coloidal é meramente uma alternativa ou suplemento aos medicamentos convencionais ou suplementos alimentares.

A chamada "Health Claim Act" prevê que se não houver evidência suficiente sobre o efeito de um produto, a formulação deve ser adaptada de acordo para que se possa demonstrar a transparência necessária. (1)

É um método de cura complementar.

O ouro coloidal é ouro dissolvido em nanopartículas minúsculas em um líquido destilado.

Tem uma cor alaranjada a vermelha profunda. Além de seu uso em bioquímica, o ouro coloidal agora também é usado para fins de cura, embora faltem aqui as evidências de estudo necessárias para assumir sua eficácia segura. (2) Entretanto, existem abordagens no tratamento de reumatismo, câncer ou doenças mentais. (1, 2)

Ouro coloidal como um portador de substâncias ativas

Uma propriedade do ouro coloidal é sua capacidade de agir como um portador de substâncias ativas. As partículas de ouro podem aumentar o efeito dos medicamentos. Com esta propriedade, eles são usados como adjuvantes nas vacinas. (3)

Eles também ajudam a garantir que as drogas farmacêuticas específicas cheguem ao seu destino exato de ação e não causem nenhum dano lá nas células. (4)

Em conexão com os atributos de melhoramento da vacina, o ouro coloidal também pode ser usado na terapia do câncer para fins de pesquisa de vacinas. Dentro da pesquisa de câncer, cientistas estão trabalhando em imunoterapia contra o câncer para desenvolver uma vacina contra células tumorais.

Aqui, o ouro coloidal pode agir como um portador dos antígenos contidos na vacina e transportá-los precisamente para as células afetadas com o câncer. (5)

Esta propriedade do ouro coloidal pode ser usada não apenas no desenvolvimento de vacinas contra o câncer, mas também no tratamento de outras doenças como o HIV. (6, 7)

Efeito anti-inflamatório e antioxidante

O ouro coloidal também pode ser usado no tratamento de sintomas inflamatórios nos músculos e articulações como artrose ou artrite reumatóide. O ouro tem um efeito anti-inflamatório. (8, 9, 10) Entretanto, este método de tratamento não é recomendado em primeira instância.

O uso de ouro coloidal ocorre em pacientes com intolerância a drogas ou outros fatores de exclusão quando nenhuma outra terapia tem sido eficaz até agora. Isto é em parte devido ao efeito tóxico do ouro.

Um terço dos pacientes com AR (artrite reumatóide) sofrem comichão ou outras manifestações dérmicas como resultado do tratamento com ouro coloidal, até e incluindo outras doenças que afetam a pele e membranas mucosas ou até mesmo a excreção excessiva de proteínas na urina. (10)

Além de seu efeito antiinflamatório, o ouro coloidal também tem um efeito antioxidante que pode ter um impacto positivo na sensibilidade insulínica dos diabéticos. (11)

Efeito sobre o sistema imunológico

O efeito antioxidante do ouro coloidal e seus antígenos têm um efeito estimulante sobre as mitocôndrias. Os blocos de construção celular que são responsáveis pela respiração celular e desempenham um papel decisivo na saúde.

Além disso, devido ao seu potencial de superfície, o ouro coloidal se liga diretamente aos blocos de construção de proteínas, ou DNA, que consiste neles, e pode assim formar um sistema imunológico mais forte através de um crescimento celular mais rápido.

Além disso, o ouro coloidal libera certas substâncias mensageiras no corpo, o que também leva a um sistema imunológico fortalecido. (12)

Quando e para quem é útil tomar ouro coloidal?

Se você ouvir as recomendações da medicina alternativa, tomar ouro coloidal pode ser útil para pessoas com uma ampla gama de problemas.

A ingestão de produtos de ouro coloidal pode melhorar o sono. (Fonte de imagem: Gregory Pappas / unsplash)

Alguns dos usos recomendados incluem reumatismo, artrite, acne, gota, doenças intestinais e inflamação, assim como doenças dérmicas, EM, perda de libido, distúrbios do sono, mas também doenças mentais como queimadura e depressão. (13)

Como os estudos clínicos sobre o efeito do ouro coloidal ainda não são conclusivos, uma melhora garantida dos sintomas da doença ou uma recuperação não é garantida. Além disso, o ouro coloidal também pode ser usado para suportar as seguintes doenças

  • Doenças do aparelho muscular e articular (artrose, gota, EM, queixas de discos intervertebrais)
  • Alzheimer e demência
  • Resistência antibiótica
  • Doenças dérmicas ou lesões (cicatrizes, feridas, rugas, eczema)
  • Queixas psicológicas e psicossomáticas (burnout, perda de libido, distúrbios do sono ou vícios de todos os tipos)
  • Inflamações intestinais
  • Danos no DNA
  • Problemas cardiovasculares (hipertensão arterial, arritmias cardíacas)
  • Obesidade (excesso de peso mórbido, obesidade)
  • Reclamações de vacinação
  • Poliartrite
  • Streptococci (pneumonia, envenenamento do sangue, tuberculose) (13)

É importante consultar um médico, profissional médico, profissional alternativo ou outro profissional de saúde antes de tomar qualquer medicação ou suplemento.

Como é feito o ouro coloidal?

O ouro coloidal é feito pela combinação de ácido tetracloridogoldico com ácido cítrico. Se o colóide deve funcionar em uma solução etérea, ele é misturado com fósforo branco. Para a solução aquosa, é utilizada água destilada.

Quais são as aplicações do ouro coloidal?

A seguinte tabela mostra as respectivas formas de aplicação do ouro líquido:

Campo de aplicação Descrição
Uso interno O ouro coloidal pode, por exemplo, ser tomado oralmente várias vezes ao dia
Uso externo Além de ser aplicado em feridas, o ouro coloidal também pode ser simplesmente esfregado na pele
Uso intravenoso Um médico ou outro profissional médico autorizado também pode administrar o ouro coloidal por injecção

Internamente

O uso interno do ouro coloidal sempre requer supervisão médica. Aqui é dada atenção à dosagem e à freqüência com que o ouro coloidal é tomado por dia.

Além disso, deve ser verificado previamente se o paciente atende aos requisitos individuais para a ingestão de ouro coloidal, uma vez que, por exemplo, deve-se ter cuidado para garantir uma ingestão suficiente de sal durante o uso deste produto.

Externo

Quando usado externamente, o ouro coloidal tem um efeito desinfetante. Para feridas agudas, isto tem a vantagem adicional de não só serem curadas rapidamente, mas também tratadas e limpas profissionalmente ao mesmo tempo.

Intravenoso

Também é possível administrar ouro coloidal por via intravenosa através de uma injeção. Neste caso, entretanto, o cuidado de uma pessoa treinada é indispensável, pois a quantidade deve ser controlada precisamente e a injeção deve ser realizada por um especialista.

Como o ouro coloidal deve ser dosado?

O ouro coloidal é oferecido na forma de um líquido para ingestão ou aplicação. A dosagem varia de acordo com a forma de aplicação. Ao tomá-lo oralmente, é essencial garantir que o líquido com as partículas de ouro não seja consumido em grandes quantidades.

Isto porque o líquido é água destilada, o que pode levar à intoxicação de água no corpo se consumida em excesso. Não há minerais ou sais na água destilada. Isto significa que um desequilíbrio pode ocorrer nas células quando ele é consumido, o que pode levar a uma pressão negativa e, no pior dos casos, a um derrame. (1)

Quando usado oralmente, é importante, portanto, sempre adicionar um pouco de sal à água destilada. Quando usado externamente na pele, não há nenhuma dosagem específica a ser seguida.

Quais alternativas existem para o ouro coloidal?

Além do ouro coloidal, outros metais como prata ou cobre também estão disponíveis na forma líquida coloidal. Entretanto, estes dois têm efeitos diferentes e propriedades especiais que devem ser levadas em conta ao levá-los em consideração. O ouro coloidal é, portanto, único em seu efeito.

Quais são os efeitos colaterais do ouro coloidal?

Devido ao fato de que há poucos resultados conclusivos de estudos sobre a eficácia do ouro coloidal e que suas propriedades ainda não foram reconhecidas para tratamento médico, também há poucas declarações sobre os efeitos colaterais do ouro coloidal.

Apenas como descrito acima, deve-se prestar atenção a um suprimento suficiente de sal quando se usa internamente, como proteção contra o envenenamento da água. Entretanto, isto se deve à água destilada e menos ao efeito do ouro.

Referências (13)

1. Herbert Havera, Natur-Kompendium.com
Fonte

2. J. Harlfinger, Review: B. Kerschner, C. Christof 18.10.2018
Fonte

3. (Freivalds, J., Kotelovica, S., Voronkova, T., Ose, V., Tars, K., & Kazaks, A. (2014). Yeast-expressed bacteriophage-like particles for the packaging of nanomaterials. Molecular Biotechnology, 56(2), 102–110. https://doi.org/10.1007/s12033-013-9686-0.)
Fonte

4. Vitalinstitut.net vertreten durch Adem Celik
Fonte

5. Parry A.L., Spain S.G., Ellis J., Davis B.D., Cameron N.R. (2009). Glycopolymer-functionalized gold nanoparticles: A new strategy toward synthetic anticancer vaccines. Abstr. Pap. Am. Chem. Soc. 2009;238.
Fonte

6. Liu, Y., & Chen, C. (2016). Role of nanotechnology in HIV/AIDS vaccine development. Advanced Drug Delivery Reviews, 103, 76–89. https://doi.org/10.1016/j.addr.2016.02.010.
Fonte

7. Carabineiro, S. A. C. (2017). Applications of Gold Nanoparticles in Nanomedicine: Recent Advances in Vaccines. Molecules (Basel, Switzerland), 22(5). doi.org/10.3390/molecules22050857
Fonte

8. Dykman, L., & Khlebtsov, N. (2012). Gold nanoparticles in biomedical applications: Recent advances and perspectives. Chemical Society Reviews, 41(6), 2256–2282. https://doi.org/10.1039/c1cs15166e.
Fonte

9. E. ABRAHAM PETER B. HIMMEL, G. U.Y. (2009). Management of Rheumatoid Arthritis: Rationale for the Use of Colloidal Metallic Gold. Journal of Nutritional & Environmental Medicine, 7(4), 295–305. https://doi.org/10.1080/13590849762411.
Fonte

10. Alice Klinkhoff, E William St Clair, Paul L Romain, MD, Literature review current through: Aug 2020. | This topic last updated: Feb 11, 2020.
Fonte

11. Joshi, H. M., Bhumkar, D. R., Joshi, K., Pokharkar, V., & Sastry, M. (2006). Gold nanoparticles as carriers for efficient transmucosal insulin delivery. Langmuir, 22(1), 300–305. https://doi.org/10.1021/la051982u.
Fonte

12. Prof. Dr. Manfred Sietz*, Dr. Ronald Woltering**, Jasmin Kuhn* und Christian Rikus* *Hochschule OWL **Gesundheitsamt des Kreises Höxter
Fonte

13. Sabrina Laidner, Expertin für Ayurveda
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Artikel
Herbert Havera, Natur-Kompendium.com
Ir para a fonte
Artikel auf Basis wissenschaftlicher Studien
J. Harlfinger, Review: B. Kerschner, C. Christof 18.10.2018
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Studie
(Freivalds, J., Kotelovica, S., Voronkova, T., Ose, V., Tars, K., & Kazaks, A. (2014). Yeast-expressed bacteriophage-like particles for the packaging of nanomaterials. Molecular Biotechnology, 56(2), 102–110. https://doi.org/10.1007/s12033-013-9686-0.)
Ir para a fonte
Artikel auf Basis wissenschaftlicher Quellen
Vitalinstitut.net vertreten durch Adem Celik
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Studie
Parry A.L., Spain S.G., Ellis J., Davis B.D., Cameron N.R. (2009). Glycopolymer-functionalized gold nanoparticles: A new strategy toward synthetic anticancer vaccines. Abstr. Pap. Am. Chem. Soc. 2009;238.
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Studie
Liu, Y., & Chen, C. (2016). Role of nanotechnology in HIV/AIDS vaccine development. Advanced Drug Delivery Reviews, 103, 76–89. https://doi.org/10.1016/j.addr.2016.02.010.
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Studie
Carabineiro, S. A. C. (2017). Applications of Gold Nanoparticles in Nanomedicine: Recent Advances in Vaccines. Molecules (Basel, Switzerland), 22(5). doi.org/10.3390/molecules22050857
Ir para a fonte
Wissenschaftlicher Artikel
Dykman, L., & Khlebtsov, N. (2012). Gold nanoparticles in biomedical applications: Recent advances and perspectives. Chemical Society Reviews, 41(6), 2256–2282. https://doi.org/10.1039/c1cs15166e.
Ir para a fonte
Wissenschaftlicher Artikel
E. ABRAHAM PETER B. HIMMEL, G. U.Y. (2009). Management of Rheumatoid Arthritis: Rationale for the Use of Colloidal Metallic Gold. Journal of Nutritional & Environmental Medicine, 7(4), 295–305. https://doi.org/10.1080/13590849762411.
Ir para a fonte
Artikel
Alice Klinkhoff, E William St Clair, Paul L Romain, MD, Literature review current through: Aug 2020. | This topic last updated: Feb 11, 2020.
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Studie
Joshi, H. M., Bhumkar, D. R., Joshi, K., Pokharkar, V., & Sastry, M. (2006). Gold nanoparticles as carriers for efficient transmucosal insulin delivery. Langmuir, 22(1), 300–305. https://doi.org/10.1021/la051982u.
Ir para a fonte
Wissenschaftliche Untersuchung
Prof. Dr. Manfred Sietz*, Dr. Ronald Woltering**, Jasmin Kuhn* und Christian Rikus* *Hochschule OWL **Gesundheitsamt des Kreises Höxter
Ir para a fonte
Artikel
Sabrina Laidner, Expertin für Ayurveda
Ir para a fonte
Resenhas